A renomada revista Billboard publicou um especial comemorando os anos 2010 onde selecionou uma lista de 100 músicas que, na opinião dos profissionais, definiram a década (de 2010 a 2019) – moldaram e refletiram a música e a cultura do período. Demi Lovato aparece na lista com “Skyscraper”, primeiro single do seu terceiro álbum de estúdio, “Unbroken”, lançado em 2011.

Confira a matéria traduzida:

Demi Lovato já era uma estrela quando “Skyscraper” foi lançada em julho de 2011, ela já havia estrelado dois filmes de Camp Rock e havia alcançado o topo da Billboard 200 em 2009 com seu maduro “Here We Go Again”.

No entanto, “Skyscraper” – o primeiro hit solo de Lovato a atingir top 10 das paradas do Hot 100 e uma resposta dolorosa ao período mais tumultuado da vida da cantora até aquele momento – transformou efetivamente a garota de 19 anos de idade, estrela do Disney Channel, em um respeitada voz do pop adulto e prolífica hitmaker.

Meses antes do lançamento de “Skyscraper”, Lovato entrou em um centro de tratamento hospitalar onde ela admitiu se auto-mutilar e sofrer de bulimia, além de usar drogas e álcool como mecanismos de enfrentamento. Uma balada de piano na qual as notas parecem desaparecer, “Skyscraper” encontra Lovato convocando força pessoal contra todas as probabilidades, sua voz se transformando de frágil em feroz – “Todas as minhas janelas ainda estão quebradas, mas eu estou de pé”, ela afirma, antes de cantar desafiadoramente no refrão: “Vá em frente e tente me derrubar / eu vou me levantar do chão / como um arranha-céu”.

“Skyscraper” é marcado como devastadoramente pessoal, especialmente considerando o momento de seu lançamento. No entanto, a música não foi criada para Lovato: originalmente escrita por Toby Gad, Lindy Robbins e a cantora estoniana Kerli para ser usada futuramente, “Skyscraper” foi então passado e gravado por Jordin Sparks. “Seria uma música bônus e acabou ficando fora do álbum”, diz Gad, referindo-se ao álbum de 2009 de Sparks, “Battlefield”.

De acordo com Gad, a música foi parar nas mãos de Jon Lind, que estava atuando como representante de A&R de Lovato na gravadora Hollywood Records na época, e Lind se apaixonou por ela. “Ele convenceu todos ao redor que esse seria o primeiro single de Demi Lovato, o que é realmente incomum, porque geralmente baladas nunca são escolhidas como primeiro single”, disse Gad, que naquele momento já havia trabalhado em hits para Beyoncé e Fergie. “Na sessão em que gravamos essa música, houveram muitas lágrimas. Ela chorou e nós choramos. Foi muito emocionante e a performance foi simplesmente incrível”.

“Era como se essa música tivesse sido escrita para ela e tudo o que ela havia passado na reabilitação”, diz Robbins, que também co-escreveu sucessos de Jason Derulo e David Guetta. “Quando ouvi essa gravação, fiquei tipo: ‘Era assim que sempre tinha que ser'”.

“Skyscraper” realmente serviu como o primeiro single do álbum de Lovato em 2011, “Unbroken”, e alcançou o 10º lugar no Hot 100 após seu lançamento. “Unbroken” também incluiu “Give Your Heart a Break”, que se tornou um dos hits de rádio mais duráveis de Lovato e uma prévia dos singles pop com foco em romance que seriam incluídos nos futuros álbuns “Demi”, “Confident” e “Tell Me You Love Me”. No entanto, “Skyscraper” estabeleceu Lovato como uma artista diferenciada, com um alcance vocal espetacular, e uma artista pop sem medo de abordar seus problemas pessoais de frente.

A vulnerabilidade se tornou um tema para as ex-estrelas da Disney e da Nickelodeon nos anos que se seguiram, como Selena Gomez, Ariana Grande, Miley Cyrus e Nick Jonas encontraram sucesso ao revelar suas vulnerabilidades adultas para o mundo ver; Lovato começou tudo isso com “Skyscraper” em 2011.

Mesmo divorciado do período da carreira de Lovato, durante o qual foi lançado, “Skyscraper” vive como uma mensagem de força pop de empoderamento pop, estimulando o ouvinte a transformar o lixo do seu respectivo mundo em ouro, como ela demonstrou como uma verdadeira vocalista. “Essa é uma música que definitivamente permanecerá por aí, e alguns outros artistas a escolherão algum dia e farão uma versão cover novamente”, diz Gad. “Na minha opinião, é a música que define Demi”.