Fonte: Music Week
Tradução e adaptação: Marcelo Ramos | Demi Lovato Brasil

O compositor coroado como “compositor do ano” pelo Music Week em 2019, Savan Kotecha, fez hits para várias pessoas, de Ariana Grande e The Weeknd a Britney Spears. Aqui, ele se lembra de como o smash hit de Demi Lovato “Cool for the Summer” começou com um som insano de guitarra.

“Cool For The Summer” foi uma música muito difícil de produzir. Levou dias e dias para decifra-la e foi um grande trabalho de equipe. Demi é uma das minhas cantoras favoritas e, eu acho, uma das vozes pop mais subestimadas na história recente. Nós somos amigos há algum tempo – ela teve um hit radiofônico de 2014 com a Cher Lloyd [Really Don’t Care] que nós fizemos juntos – e eu sempre achei que ela deveria fazer músicas com guitarras porque ela é uma cantora com voz potente, assim como a Kelly Clarkson é. Então, eu e ela conversamos sobre nos juntar com Max Martin e o restante do camp. Isso aconteceu entre nós no álbum My Everything, da Ariana Grande, que realmente explodiu, e nós tínhamos acabado de trabalhar com o The Weeknd. Eu perguntei ao Ali Payami, que estava arrasando na época, se ele poderia encontrar algo com guitarras e essa foi a direção sonora. Ele tocou essa parte louca de uma faixa para nós, que tivemos que editá-la um pouco, e ela acabou se tornando Cool for the Summer”.

Demi foi uma força muito motivadora no tema. Com as melodias, no começo nós tínhamos espaços reservados para a letra quando começamos a discuti-la com a Demi, ela queria que a música fosse sobre explorar sexualidade e não ter vergonha sobre isso. Ela foi uma parte muito importante da música, especialmente com a letra. Eu não sei qual era o ponto de vista dela, mas eu não acredito que a música teria se tornado o que é se não fosse pelas conversas que tivemos. Havia confiança e conforto naquele momento.

Uma das minhas habilidades é entrar na pele do artista – quase como um ator faz com um personagem – e ser a voz dele. Eu acho esse processo mais fácil com artistas femininas. Muitos artistas masculinos são daqueles tipo machões e eu não curto isso. Eu sou o cara menos “machão” do planeta, eu sempre achei mais fácil me relacionar com o ponto de vista feminino.

Nós tínhamos a melodia do verso “Tell me what you want, what you like, it’s okay”, mas não tínhamos ideia do que fazer depois disso! Estávamos no estúdio com a Demi tentando decidir o que fazer quando Alex Kronlund chegou, que, naquela época, era o meu salvador no pré-refrão das músicas — ele também nos salvou em Side To Side e Into You [da Ariana Grande]. Eu falei para ele, “Você consegue ajudar? Eu não sei o que fazer depois disso!”. Alex estava dizendo que nós poderíamos colocar a parte do “Don’t Tell Your Mother” e eu falei, “Mas colocamos depois disso!?”. E então ele sugeriu fazer algo com arranjos de guitarra. Ter isso antes do refrão era arriscado para nós, em termos de ter espaço suficiente. A música tem um arranjo muito esquisito e, quando você faz algo diferente, você acaba questionando isso. Nós apenas aceitamos e vivemos com isso, escrevemos a letra com a Demi e achamos que era o melhor resultado.

Quando achamos que tínhamos conseguido o melhor resultado, fomos pedir a opinião do Max [Martin, produtor musical] e ele foi com tudo na música. A sua produção vocal é incrível. É como ter um mestre da arte na sala, uma arma secreta. Quando a Demi finalmente colocou a sua voz na música, nós pensamos: “Ah sim, isso é algo muito bom!”. Eu não consigo imaginar outra pessoa cantando-a que não seja a Demi.

Eu tive um pressentimento sobre a música. Eu me lembro de toca-la para a Tinashe, que estava em um dos outros estúdios, e ela disse “Isso é incrível!” e eu também lembro dos meus filhos gostarem da música, o que é um bom sinal.

Estranhamente, naquela época, nós pensamos que “Confident” deveria ser o primeiro single, mas a gravadora disse: “Não, Cool For The Summer é o primeiro!”. Como ela estava na Hollywood Records, nós ficamos pensando se estávamos indo muito além do limite porque era meio que uma música radical, e, olhando para a letra, era algo diferente do que ela tinha feito antes. Mas a gravadora e todo mundo estava muito animado. Demi foi muito corajosa.